11/12/16

Colchicina no tratamento da gota

Este medicamento é usado para prevenir ou tratar ataques de gota (recidivas). Normalmente os sintomas de gota se desenvolvem de repente e envolvem apenas uma ou poucas articulações. A gota é causada pelo excesso de ácido úrico no sangue que é um produto do metabolismo das proteínas. Quando os níveis de ácido úrico no sangue são muito altos, o ácido úrico pode formar cristais duros nas articulações o que provoca inflamação aguda e dores ao movimentar-se. O dedão do pé (joanete), joelho ou tornozelo são os mais frequentemente afetados.

Alguns dos factores de risco para o surgimento das crises são a obesidade, sexo masculino (40 anos ou mais), a insuficiência renal, o uso de alguns medicamentos, o consumo excessivo de alguns alimentos (como a carne e o marisco) e o excesso de bebidas alcoólicas, especialmente cerveja.

A colchicina, diminuindo o inchaço e diminuir o acumulo de cristais de ácido úrico que causam dor
na articulação afetada(s). Embora o seu modo de ação é desconhecido.
O efeito anti-inflamatório da colchicina na artrite gotosa aguda é relativamente seletivo para esta doença e é eficaz apenas em alguns casos nos outros tipos de artrite.
Colchicina no tratamento da gota


A colquicina é utilizada nas seguintes situações: 
  • Gota (tratamento prolongado com dose baixa)
  • Acesso agudo de gota (dose mais alta durante alguns dias)
  • Terapêutica de prevenção de acessos de gota quando no início de tratamentos hipouricemiantes com inibidores de síntese de ácido úrico ou com uricosíricos.

Acesso agudo de gota:
1º dia: 3 comprimidos (1 comprimido de manhã, 1 comprimido ao meio dia, 1 comprimido à noite);
2º e 3º dias: 2 comprimidos por dia (1 comprimido de manhã e 1 comprimido à noite); 4º dia: 1 comprimido à noite
Dias seguintes: 1 comprimido à noite

Prevenção dos acessos de gota aquando dos tratamentos hipo-uricemiantes: A dose diária profilática de colquicina depende da frequência e da gravidade dos episódios anteriores e pode variar de 0,5 mg duas a quatro vezes por semana até 1,5 mg por dia. É normalmente eficaz numa dose oral de 0,5-1 mg por dia, ajustada de modo a não causar diarreia. O tratamento com colquicina deve manter-se até pelo menos um mês após a redução da concentração de urato no sangue e que é comum a cobertura profilática durante 3 a 4 meses. É aconselhada uma vigilância hematológica semestral (despistagem sistemática dos efeitos secundários).


Nos indivíduos em idade de procriar, deverá ser instaurada uma contracepção eficaz qualquer que seja o parceiro tratado. É recomendado interromper o tratamento com colquicina três meses antes da concepção. A contracepção deverá manter-se até 3 meses após a interrupção da colquicina.

Contém Lactose e Sacarose.

É um daqueles medicamento que quanto menos tomar melhor. Maior parte dos pacientes sente disconfortos intestinais quando começam a tomar colquicina.

Reacções adversas muito frequentes: Diarreias, náuseas, vómitos (até 80% dos doentes). Podem ser os primeiros sinais de sobre dosagem. É necessário então diminuir as doses ou mesmo parar com o tratamento. Incluem problemas gastro-intestinais e neutropenia. Altas doses podem também lesar a medula óssea e levar a uma anemia

Dose tóxica cerca de 10 mg.
Dose constatada mortal, acima de 40 mg
Não há antídoto específico da colquicina.


Preço Colchicine, 1 mg x 20 comp: € 4,65

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...