11/01/17

Bisolvon para tosse com expectoração

Chegou o inverno e temos todos a tossir a nossa volta. A tosse mais frequente é a tosse com expectoração em que sentimos acumulação excessiva de muco nos pulmões e nas vias respiratórias e que temos dificuldade em remover mesmo tossindo. A tosse é um mecanismo natural de cura que o organismo utiliza para eliminar esse muco.

Se tiver na duvida se a sua tosse é seca ou com expectoração, pode ver este meu post.

Há frequentemente esta duvida em que as pessoas dizem que tem a tosse seca porque a expectoração não sai, se tem expectoração mesmo que seja pouca é porque a tosse é com expectoração e precisa de uma ajuda para fluidificar e remover o muco. Para isso existem os mucoliticos. O mais conhecido do mercado é da família de Bisolvon.

O uso do mucolítico implica a diminuição da viscosidade do muco e o aumento da remoção do mesmo, quer através da actividade ciliar do epitélio, quer pelo reflexo da tosse, sendo portanto de esperar um aumento da expectoração e da tosse. Isso quer dizer que é normal que ache que ficou com mais expectoração depois de tomar a medicação, a maior quantidade é mais facilmente removida.
     
Propriedades do Bisolvon:    
  • facilita a expectoração ao tornar o muco mais fluido
  • fica facilitada a drenagem do material tensioativo dos alvéolos pulmonares e dos brônquios. e activa o epitélio ciliar da mucosa brônquica, estes mecanismos mantêm e melhoram a capacidade de autopurificação das vias aéreas
  • facilita e acelera a eliminação do muco dos alvéolos pulmonares com a sua ação fluidificante e expectorante
  • está indicado como adjuvante mucolítico do tratamento antibacteriano das infeções respiratórias em presença de hipersecreção brônquica. 
Bisolvon existe em xarope e na forma de comprimidos, o xarope não tem açúcar, sendo por isso adequado para diabéticos.

Bisolvon pode ser tomado durante a gravidez, mas evitar durante a lactação. Não interfere com a pílula.

Devido aos mucolíticos possuírem a capacidade de afectar a barreira mucosa gástrica, estes deverão ser utilizados com precaução em indivíduos susceptíveis a úlceras gastroduodenais. Bisolvon não deve ser usado em doentes que sofram de úlcera gastroduodenal.

Bisolvon é geralmente bem tolerado,raramente pode acontecer diarreia, náuseas, vómitos, dor epigástrica e outros efeitos gastrointestinais moderados.

Bisolvon Linctus Adulto  (Cloridrato de Bromexina 1,6 mg/ml )

Adultos e crianças com mais de 12 anos: 5 ml, 3x/dia (5 ml=1 colher das de chá)
Crianças 6-12 anos: 2,5 ml, 3x/dia

Bisolvon Linctus Criança (0,8 mg de Cloridrato de Bromexina)

Tem exactamente metade da dosagem do xarope do adulto e apresenta aroma a morango
Adultos e crianças com mais de 12 anos: 10 ml (2 colheres de chá) 3 vezes ao dia
Crianças 6-12 anos: 5 ml (1 colher de chá), 3 vezes ao dia
Crianças 2-6 anos: 2,5 ml (1/2 colher de chá), 3 vezes ao dia
Crianças com menos de 2 anos: 1,25 ml (1/4 colher de chá), 3 vezes ao dia

Bisolvon Comprimidos

Solução pratica para quem não tem possibilidade ou vontade de tomar o xarope. Comprimidos fáceis de engolir e cómodos para transportar. Comprimidos contêm quantidades muito baixas de hidratos de carbono (lactose).

Cada comprimido contém 8 mg de Cloridrato de Bromexina.
Adultos e crianças com mais de 12 anos: 1 comprimido (8 mg) 3x/dia.

04/01/17

Acutil - suplemento alimentar para memoria

Acutil - suplemento alimentar para memoria
Acutil destina-se a ser tomado por adultos, em qualquer situação de carência destes nutrientes, satisfazendo as necessidades nutritivas, especialmente de indivíduos com metabolismo alterado.

Acutil constitui uma protecção nutritiva que poderá ajudar manter a função e o desempenho do cérebro, em particular em indivíduos de idade mais avançada ou em situações stress/sobrecarga intelectual (ex: estudantes em períodos de exames), em que as carências nutricionais poderão ter maior impacto.

Acutil é um suplemento alimentar que contém para além de ácidos gordos ómega-3, extracto de Ginkgo biloba, fosfatidilserina, ácido fólico e vitamina E e B12, contribuindo para assegurar um aporte suficiente destes nutrientes e responder às necessidades variáveis do organismo.


Posologia: Inicialmente, recomenda-se uma toma diária de uma a duas cápsulas de Acutil, por dia, juntamente com alimentos ou bebidas não alcoólicas.
Acutil não interfere com a pílula, nem engorda. Se tomar complexos vitaminicos tem de ver se na composição não tem os mesmos componentes para não ocorrer a sobre dosagem, por exemplo Vitamina E.


Composição:
Ácidos gordos ómega-3: em particular o ácido docosahexaenóico, são um constituinte fundamental da membrana dos neurónios (células nervosas), que é fundamental para o processamento da informação no cérebro. Por sua vez o ácido eicosapentaenoico desempenha um papel importante na produção de substâncias com papel activo nos processos imunológicos e inflamatórios.

Fosfatidilserina: componente importante das membranas celulares dos neurónios, necessária para assegurar uma transmissão eficiente dos impulsos nervosos.

A vitamina B12 e o ácido fólico: ajudam a manter a integridade celular e a optimizar o metabolismo nervoso. Em conjunto, estas duas substâncias ajudam a proteger o cérebro dos efeitos potencialmente lesivos de uma substância chamada homocisteína.

A vitamina E: desempenha um importante papel na protecção de diferentes tecidos, em particular do cérebro, contra reacções químicas de peroxidação, que podem ocorrer a partir de diferentes processos metabólicos normais e agentes tóxicos exógenos. A não neutralização dos compostos resultantes da peroxidação pode contribuir para um envelhecimento precoce das células. Para além destas propriedades anti-oxidantes, as necessidades em vitamina E encontram-se aumentadas nos indivíduos com dietas ricas em ácidos gordos poli-insaturados.

Ginkgo biloba: propriedades anti-oxidantes e ajuda a manter a memória, em particular a de curto prazo.


Preço 30 capsulas: +/- 15 euros
Preço 60 capsulas: +/- 25 euros

26/12/16

Dulcolax - eficaz na obstipação

Dulcolax é um dos laxantes mais conhecidos e vendidos na farmácia, muito eficaz em casos de obstipação com resultados visíveis da noite para o dia (tempo de acção 6 a 12 horas). Dulcolax estimula a contracção dos músculos do intestino e, consequentemente, empurram o seu conteúdo. Também facilitam a eliminação ao acumularem água para amolecer o conteúdo do intestino.

Substância ativa (em cada comprimido): 5mg de Bisacodilo

Os comprimidos revestidos devem ser tomados inteiros à noite com água para que a evacuação se produza de manhã, são fáceis de engolir e suaves para o estômago pois actuam apenas onde é necessário, no cólon.

Precauções: não deve ser tomado diariamente durante longos períodos. A utilização prolongada e excessiva poderá provocar desequilíbrio electrolítico e hipocaliemia. A substância ativa de Dulcolax, o Bisacodilo, não penetra na barreira cerebral, não tendo sido notificado qualquer potencial aditivo que pode levar a dependência.

Note que é muito importante evitar beber leite ou um antiácido ao mesmo tempo que toma o Dulcolax. Estas substâncias são alcalinas e podem dissolver demasiado cedo o Revestimento de Proteção. Pelo mesmo motivo, Dulcolax Comprimidos Revestidos nunca deve ser esmagado ou mastigado antes de engolido pois, caso contrário, o Revestimento de Protecção deixa de ser eficaz. Se tomou um anti-ácido, aguarde pelo menos uma hora antes de tomar Dulcolax de forma a impedir que o revestimento se dissolva antes de chegar ao intestino e possa causar irritação gástrica e/ou cólicas.

Pode ser tomado a partir de 6 anos. Pode ser tomado durante a amamentação. Não interfere com a eficácia da pílula.


Dulcolax Supositórios

Como os comprimidos revestidos, o componente activo em Dulcolax Supositórios é o Bisacodilo (10 mg ): um composto com um elevado perfil de segurança e de eficácia comprovada.

Com Dulcolax Supositórios, o componente activo é misturado com um material do tipo cera totalmente seguro, sólido à temperatura ambiente mas que se dissolve à temperatura corporal para permitir que o componente tenha uma acção a nível local. Acçao rápida, demora entre 10 a 30 min.

Dulcolax Supositórios é especialmente moldado de modo a ser fácil de inserir no recto. Remova o supositório da embalagem plástica e introduza o supositório, com a parte pontiaguda para frente, no recto. Para melhores resultados, deve deitar-se durante 15 a 20 minutos e tentar reter o supositório no recto enquanto puder. Reter o supositório significa manter o supositório no recto, não o deixando sair. A utilização dos supositórios pode conduzir a sensações dolorosas e irritação local, especialmente nas fissuras anais e proctite ulcerosa.

Vantagens de supositório em relação ao comprimido: acção muito rápida, não corre o risco de sentir desconforto intestinal e pode ser tomado por indivíduos com dificuldade de deglutição.

O seu médico pode aconselhá-lo quanto ao uso de um supositório antes de determinadas intervenções clínicas (ex: colonoscopia).

Adultos e crianças com mais de 10 anos: 1 supositório (10 mg) para efeito imediato.

11/12/16

Colchicina no tratamento da gota

Este medicamento é usado para prevenir ou tratar ataques de gota (recidivas). Normalmente os sintomas de gota se desenvolvem de repente e envolvem apenas uma ou poucas articulações. A gota é causada pelo excesso de ácido úrico no sangue que é um produto do metabolismo das proteínas. Quando os níveis de ácido úrico no sangue são muito altos, o ácido úrico pode formar cristais duros nas articulações o que provoca inflamação aguda e dores ao movimentar-se. O dedão do pé (joanete), joelho ou tornozelo são os mais frequentemente afetados.

Alguns dos factores de risco para o surgimento das crises são a obesidade, sexo masculino (40 anos ou mais), a insuficiência renal, o uso de alguns medicamentos, o consumo excessivo de alguns alimentos (como a carne e o marisco) e o excesso de bebidas alcoólicas, especialmente cerveja.

A colchicina, diminuindo o inchaço e diminuir o acumulo de cristais de ácido úrico que causam dor
na articulação afetada(s). Embora o seu modo de ação é desconhecido.
O efeito anti-inflamatório da colchicina na artrite gotosa aguda é relativamente seletivo para esta doença e é eficaz apenas em alguns casos nos outros tipos de artrite.
Colchicina no tratamento da gota


A colquicina é utilizada nas seguintes situações: 
  • Gota (tratamento prolongado com dose baixa)
  • Acesso agudo de gota (dose mais alta durante alguns dias)
  • Terapêutica de prevenção de acessos de gota quando no início de tratamentos hipouricemiantes com inibidores de síntese de ácido úrico ou com uricosíricos.

Acesso agudo de gota:
1º dia: 3 comprimidos (1 comprimido de manhã, 1 comprimido ao meio dia, 1 comprimido à noite);
2º e 3º dias: 2 comprimidos por dia (1 comprimido de manhã e 1 comprimido à noite); 4º dia: 1 comprimido à noite
Dias seguintes: 1 comprimido à noite

Prevenção dos acessos de gota aquando dos tratamentos hipo-uricemiantes: A dose diária profilática de colquicina depende da frequência e da gravidade dos episódios anteriores e pode variar de 0,5 mg duas a quatro vezes por semana até 1,5 mg por dia. É normalmente eficaz numa dose oral de 0,5-1 mg por dia, ajustada de modo a não causar diarreia. O tratamento com colquicina deve manter-se até pelo menos um mês após a redução da concentração de urato no sangue e que é comum a cobertura profilática durante 3 a 4 meses. É aconselhada uma vigilância hematológica semestral (despistagem sistemática dos efeitos secundários).


Nos indivíduos em idade de procriar, deverá ser instaurada uma contracepção eficaz qualquer que seja o parceiro tratado. É recomendado interromper o tratamento com colquicina três meses antes da concepção. A contracepção deverá manter-se até 3 meses após a interrupção da colquicina.

Contém Lactose e Sacarose.

É um daqueles medicamento que quanto menos tomar melhor. Maior parte dos pacientes sente disconfortos intestinais quando começam a tomar colquicina.

Reacções adversas muito frequentes: Diarreias, náuseas, vómitos (até 80% dos doentes). Podem ser os primeiros sinais de sobre dosagem. É necessário então diminuir as doses ou mesmo parar com o tratamento. Incluem problemas gastro-intestinais e neutropenia. Altas doses podem também lesar a medula óssea e levar a uma anemia

Dose tóxica cerca de 10 mg.
Dose constatada mortal, acima de 40 mg
Não há antídoto específico da colquicina.


Preço Colchicine, 1 mg x 20 comp: € 4,65

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...